Pornô para mulheres: conheça o trabalho de Erika Lust

Você conhece Erika Lust? Se você gosta de filmes adultos, esse é um nome que deveria conhecer. Essa diretora sueca tem revolucionado a indústria pornô com uma nova perspectiva de como o sexo é apresentado nas telas: agora pela visão das mulheres.

Trabalhando de forma independente, ela mostra que filmes eróticos podem ser muitos mais interessantes se eles fugirem dos clichês tradicionais que são explorados ao máximo pela indústria. Mais do que isso, ela inovou a maneira de fazer pornografia com filmes inspirado em fantasias sexuais de mulheres reais. Erika Lust é uma mulher que dirige filmes pornográficos de mulher para mulher.

 

Foto de Erika Lust. Diretora, roteirista e escritora, que, cansada dos filmes pornográficos tradicionais, decidiu produzir filmes adultos sob a visão das mulheres.

Sim, mulheres gostam de ver pornô.

E o mercado de filmes eróticos tem se voltado cada vez mais para elas (demorou). É nesse movimento que o trabalho de Erika tem se destacado. Mostrando o sexo sobre uma perspectiva feminina e sem os clichês batidos que encontramos nos filmes adultos, muitas vezes voltados exclusivamente para homens.

Agora a mulher é a protagonista e as cenas de sexo são pensadas sob uma visão totalmente feminina. Excitante, não? Também não há mais espaço para violências e humilhações. Vale lembrar que muitos filmes eróticos abusam de cenas em que a atriz tem sua cabeça enfiada dentro de uma privada, sofre estrangulamento durante a relação e outras coisas do tipo.

Mas não subestime o poder erótico de suas produções. Os filmes não são chatos como alguns devem estar pensando. São filmes de sexo e as cenas de são com muita pegada e com muitas preliminares. Os seus filmes expõem o que a mulheres esperam do sexo (inclusive com outras mulheres). E esse universo é cheio de fetiches e situações que a mulher pode ou não estar no comando (uma mulher tem o direito de ser submissa na cama se assim ela desejar).

XConfessions – Fantasias eróticas de mulheres comuns transformadas em filmes pornograficos

Essa é a produção que colocou a diretora em foco e apresenta todo o talento que tem feito Erika Lust ganhar tão rápido reconhecimento. Ela inovou a maneira com que os filmes pornográficos são feitos ao tentar mostrar um filme de sexo, com menos cortes e intervenções, que se aproxime do real. Nos seus filmes, o ápice é o orgasmo das atrizes.

XConfessions  – Muito perto da realidade

XConfessions é um projeto ousado. Nesse trabalho, Erika convidou mulheres a lhe contar suas fantasias sexuais favoritas para que essas histórias fossem filmadas depois. Ela compilou as melhores e as transformou na produção XConfessions, que são pequenos curtas metragem contanto cada uma dessas histórias picantes. Um dos curtas, inclusive, foi gravado com participação de uma fã, que topou se filmada fazendo sexo para compartilhar com todos a sua fantasia que sempre sonhara realizar.

 

Capa do filme Xconfessions 2 mostrando a cena onde um casal faz sexo no trabalho.

As fantasias retratadas mostram situações em que a mulher, como protagonista, vivencia situações deliciosas que acabam em sexo. E tem de tudo: ménage, bi feminino, orgias, swing, sexo em lugares inusitados, BDSM e por aí vai. As fantasias são realmente excitantes.

Aviso: homens mais conservadores e desavisados podem ficar um pouco chocados ao saber que as mulheres gostam tanto de sexo quanto eles (kkk). Mas é a vida. Aceitar dói menos.

 

Dois casais se beijando em uma sessão de swing. Uma das cenas produzidas por Erika Lust

Um pouco mais sobre Erika Lust

Erika Lust é uma diretora, escritora, roteirista e blogueira que reside em Barcelona. Ela nasceu em 1977 na Suécia. Estudou ciências políticas, feminismo e sexualidade. Frustrada com pornografia dominante, ela explodiu na indústria adulta em 2004, com o curta-metragem The Good Girl – uma declaração de princípios, humorística e erótica. Em sua trajetória já recebeu uma infinidade de prêmios pelo seu trabalho.

 

Erika Lust dirigindo uma cena de sexo em uma de suas produções

 

Mais um pouquinho

Erica Lust aparece no documentário Hot Girls Wanted: Turned On, da Netflix (ela também recebe um pequeno merchandising em um dos episódios da quarta temporada de Black Mirror, também da Netflix).

Nesse documentário, ela fala da importância da visão feminina na indústria pornográfica. Em tempos de hiper conectividade, os filmes pornô acabam sendo a maneira que muitos jovens têm seu primeiro contato com o sexo. Ela se diz assustada com os subgêneros violentos e, de forma geral, com o total descaso dos homens com o prazer feminino nos filmes. E afirma, ainda, que suas produções tentam quebrar essa visão distorcida, e que o sexo real não tem nada a ver como é retratado nas produções adultas dominantes.

 

Cena de sexo de um dos filmes de Erika Lust

 

Filme pornô só para mulheres?

Os filmes eróticos de Érika são feitos sob a perspectiva feminina. Mas não seria certo dizer que eles são feitos exclusivamente para mulheres. É quase impossível assistir um deles sem ficar com tesão, seja você homem ou mulher. Talvez o maior diferencial deles seja que não temos mais os clichês que vemos saturados na indústria de filmes adultos. Nos filmes dela, o prazer da mulher é fundamental, nem mais, nem menos, mas igual. Da forma como o sexo deve ser encarado em uma relação real. Essa preocupação deixa os seus filmes muito mais interessantes para todos os envolvidos. Experiente assistir alguns episódios na companhia de quem você gosta e vai saber do que eu estou falando.

Cena de sexo de manage feminino em umas das produções de Erika Lust
Cena de sexo de manage feminino em umas das produções de Erika Lust

Filmografia Erika Lust

Filmes

• Filmes 2008: Barcelona Sex Project
• 2010: Life Love Lust
• 2012: Cabaret Desire

Compilações de Curtas

• 2007: Five Hot Stories For Her incl. Something about Nadia
• 2013: XConfessions vol. 1
• 2014: XConfessions vol. 2 incl. The Art of Spanking
• 2014: XConfessions vol. 3
• 2015: XConfessions vol. 4
• 2015: XConfessions vol. 5
• 2016: XConfessions vol. 6

Curtas

• 2004: The Good Girl
• 2009: Handcuffs
• 2010: Love Me Like You Hate Me
• 2011: Room 33

Comentários